LIA VIEIRA

Encruzilhada de Notícias

21 de abril - Uma conversa com a vida e a leitura das máscaras

21/04/2020

21 de abril

 

Uma conversa com a vida  e a leitura das máscaras

 

Agradeço aos internautas que me dão o crédito de chegar até aqui e fazer este deslocamento, em resumido recorte, num exíguo espaço de “misturação de cabeça": Economia, Saúde, Política,  as necessárias Conexões Espirituais  e Racismo, nosso tema essencial.

Ah, se eu pudesse convidar os telespectadores das famosas séries viciantes, sei que eles teriam muito a contribuir nestas reflexões do mundo real.

Esta data é emblemática – nos reporta a Inconfidência Mineira, um capítulo à parte, nos movimentos emancipatórios do Brasil. Rebelião, sim, mas nunca uma Revolução. Insurreições como as que explodiram em todo o planeta desde 2008, no marco da crise, a falência do conglomerado, Lehman Brothers, USA. A partir dali, discursos, inquietações, indignações, sufocadas, hoje, pelo pânico de uma pandemia mundial que tornou cidadãos em indivíduos atomizados.

 

O Coronavirus – Covid 19, é uma realidade.

 

O isolamento social nos dá uma rota de fuga da morte e tira de nós justamente o desafio de nos organizar comunitariamente. Nossos corpos se tornaram ameaças para outros corpos. Só a proliferação das  lives, não preenche este grande gap. Quem continuará respirando? Quem escapará da morte ou poderá adiá-la?

O estudo do filósofo camaronês Achille Mbembe, e sua análise profunda, cunhou em 2003, o termo: necropolítica,  tão fartamente usado nos debates atuais.

“O sistema sempre operou com a ideia de que alguém  vale mais do que os outros".

Alguma dúvida, que, aqui, o Estado exerce esta Política? Descompasso. No estranho, não mais pequenos deslizes, mas o desejo de nos possuir a todos. numa loucura incurável que opera exacerbadamente a essência do Poder.

Há uma emergência que acelera a utilização de recursos, as plataformas de benfeitorias, protelamento de dívidas, cheques em branco, medidas provisórias votadas e aprovadas no calar da noite. Deslocamento de aeronaves. Obras. Importações e Exportações. Compras que rompem o pacto federativo. Doações do setor privado que volta ao cenário nacional, agora, como os grandes  salvadores da pátria. O que está na superfície e o que está no mais profundo deste poço?

Perda dos nossos direitos e conquistas  trabalhistas constitucionais.

Em todos os setores, o medo de confrontar o fim da espécie humana. Não sei bem o que houve com a letra do hino nacional: 

 

- Não teme quem te adora a própria morte!

A transformação insurgente com que pensamos o futuro nos fará triunfar sobre este genocídio escamoteado nas estatísticas de mortes de corpos pretos.

Nesta conversa com a vida e na leitura das máscaras, me inspirei, na autoridade profissional e acadêmica preta (grifo meu), da obra: Sim, o Racismo Existe! Transitam nesta obra, o melhor que traduz  a inteligentzia negra:

“O que os opressores, racistas, fascistas e antinegros não sabem  é que a luta e a partilha da amarga exclusão, mais nos aproxima, e mais nos fortalece... ao contrário, força, encontro, união, comunhão, aprimoramento político e cultural, empoderamento. Aprendemos isso, não de agora, mas de longe, desde os quilombos.”

Tocaremos não os corpos mas os corações e nossos sonhos.

Covid 19 você não é maior do que nossa Resistência. Sobreviveremos!

 

Sim, o Racismo Existe! – Sarita Amaro e Evaldo Ribeiro Oliveira(Orgs) e 22 autores com apresentação de Ivair Augusto Alves. Nova Práxis Editora 2019 - Curitiba

LIA VIEIRA

Carioca e graduada em Economia, Turismo e Letras, Lia cursou doutorado em Educação na Universidade de La Habana (Cuba)/Universidade Estácio de Sá (RJ). É escritora, pesquisadora, dirigente da Associação de Pesquisa da Cultura Afro-brasileira e militante do Movimento Negro e do Movimento de Mulheres

Siga a Lia Vieira nas redes sociais:

COMENTÁRIOS

PAUTA RIO
Copyright © 2020 
Todos os direitos reservados.