Perspectiva Semanal

Autora Convidada: Tammy Luciano

As dimensões paralelas

da ficção

27/04/2020

Sabe aquelas coisas meio doidas que você pensa? Em tempos de Pandemia, em que o nosso mundo real, atual, está tão severo, vim aqui dividir um pensamento...

Ser escritora não é apenas escrever. Não posso negar que existe uma vontade enorme de saber que as personagens estão indo além do livro... Por isso, enquanto escrevia essa semana, surgiu a ideia de existir um mundo paralelo onde moram as histórias de amor da ficção, onde pairam os finais felizes. Por favor, não confunda nessa reflexão os atores e atrizes citados aqui. Não quero ofender a vida pessoal de ninguém. Eu estou falando de personagens!

Os atores podem não mais se encontrar, mas em um universo paralelo Kate Forster, Sandra Bullock e Alex Wyler, Keanu Reeves, continuam vivendo o final feliz de 'A Casa do Lago', com roteiro de David Auburn. A cena em que ela se ajoelha, esperando que ele veja o recado que mandou, é de emocionar. Como acreditar que Adam Sandler e Drew Barrymore, Henry e Lucy, de 'Como Se Fosse A Primeira Vez', de George Wing, se separaram depois do término do filme? E aqueles que terminam separados, mas arrebataram nossos corações, voltam a se amar nessas dimensões? Sendo assim, eu uniria novamente, a Nicole, de Scarlett Johansson, e seu marido Charlie, de Adam Driver, de História de um casamento, com roteiro de Noah Baumbach. Se no fim os dois não ficaram juntos, em novas dimensões eles ficam porque assim eu quero.

Então, em algum lugar, a Anna, interpretada  por Julia Roberts, está amando Willian, papel de Hugh Grant, de Notting Hill, escrito por Richard Curtis. A cena em que os dois se beijam no singelo hall da pequenina casa azul do personagem não pode ser de mentira. Não pode!

Quanto a isso, também fico um pouco confusa porque sempre acho que Julia Roberts e Richard Gere são o casal perfeito de 'Uma Linda Mulher', escrito J. F. Lawton. Entendo que assim podemos ter opções variadas de diversos mundos paralelos da ficção. Indo ainda mais fundo, compreendo que podemos ter as dimensões colaterais acontecendo dentro de cosmos equidistantes.

Javier Bardem e Penelope Cruz, parecendo entender de dimensões paralelas até se casaram na vida real, depois do encontro na telona. O casal deve saber o local secreto onde moram os casais da eternidade da ficção e onde os finais de semana, ops... os finais felizes, são perfeitos nesse universo paralelo. Será que é lá que estão Lady Gaga e Bradley Cooper, ou melhor, Jackson e Ally de 'Nasce Uma Estrela', com roteiro de Eric Roth, cantando apaixonadamente?

Podemos acreditar assim que ‘A Era de Ouro’ de Hollywood existe até hoje com Ginger Rogers e Fred Astaire bailando desde a década de 30 até a eternidade. O casal fez diversos filmes juntos, como 'O Picolino', 'Ritmo Louco, Vamos Dançar?'. Quantas musas do cinema antigo podem estar hoje na vida eterna da ficção com seus pares. Ingrid Bergman, Vivien Leigh, Marlene Dietrich, Elizabeth Taylor, Greta Garbo, Ava Gardner, Grace Kelly, Debbie Reynolds, Rita Hayworth, Judy Garland, Katherine Hepburn, Marilyn Monroe,... Se você não assistiu 'A Princesa e o Plebeu', precisa. No filme, uma princesa entediada, Ann, foge de casa e acaba conhecendo um repórter oportunista Joe Bradley, interpretado pelo ator Gregory Peck. Ann fez tudo que a gente queria, fugir de casa. Vocês lembram, tem até uma música da Rita Lee que diz: “Se a Deborah Kerr que o Gregory Peck/ Não vou bancar o santinho...” Imagina esse elenco todo de personagens vivendo em um mundo paralelo?

Você está me achando meio fora da casinha? Alguns físicos acreditam em outras dimensões com universos inteiros acontecendo. E por que esses universos não seriam dos filmes e até dos livros?

Claro, como escritora que sou, não posso deixar de falar dos livros. Você fecha a página, o livro acabou, mas aquele casal eterno correu para o universo paralelo. Ninguém mais separa.

Elizabeth e Darcy de 'Orgulho e Preconceito', de Jane Austen, continuam tão atuais que temos certeza da vida dessas personagens tamanho o fôlego de sua história. Aliás será que personagens que morrem nas tramas ganham a vida eterna nessas dimensões? 'Romeu e Julieta', de Shakespeare, precisam estar vivos em algum lugar. Se for assim, Hazel Grace, Augustus Wate, de 'A Culpa É Das Estrelas', de John Green, e seu amor jovem nunca mais acabarão. E se essas dimensões forem localizadas dentro de nossas cabeças que se interligam em um pensamento em conjunto?

O poeta, contista e romancista Charles Bukowski, que nasceu na Alemanha, mas viveu e morreu nos Estados Unidos, disse uma vez: “Me entenda. Eu não sou como um mundo comum. Eu tenho a minha loucura, eu vivo em outra dimensão e eu não tenho tempo para coisas que não têm alma”. Será então que essa dimensão também tem casas para escritores encontrarem suas personagens?

Em 1919, Theodor Kaluza, um físico alemão, socorreu Albert  Eisntein com uma teoria para explicar que o eletromagnetismo e a gravidade eram lados diferentes da mesma moeda, mas  apenas se essas forças existissem num Universo com quatro dimensões de espaço, em vez de três.

Não sei se você sabe, vivemos em um espaço 3D: direita/esquerda, para cima/para baixo e para a frente/para trás. Qualquer outro movimento que você fizer será uma combinação entre essas direções. Então existiria um espaço 4D, uma direção a mais, e que não é nenhuma das que a gente conhece e que ajudariam como localização. Se eu estiver errada me corrija nos comentários.

Não consigo esconder a felicidade de imaginar juntos Bridget Jones e Mark Darcy de 'O Diário de Bridget Jones', da autora Helen Fielding; Scartell O´Hara e Rhett Butler de 'O Vento Levou', de Margaret Mitchell; e Noah e Allie de 'Diário de Uma Paixão', de Nicholas Sparks. Vivas para seus finais felizes, o auge daquele amor, porque na dimensão paralela literária o final feliz nunca chega ao fim.

E você, que casais da ficção marcaram a história da sua vida?

 

Você acredita que é possível em algum lugar os casais que amamos dos filmes e livros existirem de verdade? Na vida real, e principalmente em tempos de pandemia, a Literatura, o cinema e a arte possuem esse poder: nos levar para longe, para lugares onde nossos pensamentos são mais leves e a realidade menos terrível. O lúdico, em tempos de isolamento, nos salvará. Acredite. Tenha fé e aceite, vai melhorar.

 

Deixo aqui um trecho da minha personagem Belinda Bic, livro Escândalo!!!, falando de sua mãe Mimizinha: "Aceite. Eu lembro da minha mãe tão sábia e generosa me dizendo várias vezes do poder da aceitação. Quando sua vida estiver muito difícil, cheia de tristezas espalhadas pelo caminho, aceite. Nada poderá ser tão ruim do que revirar os próprios pensamentos, buscando o que não pode, condenando seu próprio presente. Aceite".

 

Ouça essa reflexão na voz da autora Tammy Luciano:

As dimensões paralelas da ficção - Tammy Luciano

Conteúdos anteriores:

COMENTÁRIOS

Acesse nossas redes sociais

  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube
  • Twitter

Parceiros

engaja2.jpg
Revenue growth in 2020.jpg
pauta sem fundo.png

PAUTA RIO
Copyright © 2020 
Todos os direitos reservados.